WHAT? I'M VEGGIE?

14 de abril de 2018


Sinto que me tenho focado demasiado em escrever sobre moda e beleza. Tenho deixado os posts sobre lifestyle um pouco de lado. Por essa razão, quis partilhar convosco algo que penso não saberem sobre mim. Sim, sou vegetariana. 
Confesso que nunca dei muita importância à minha alimentação - completamente errado, eu sei -, não era a pessoa mais saudável e não me preocupava com os efeitos que a minha alimentação iria ter a longo prazo. Mas um dia isso mudou. É normal, numa determinada fase da nossa vida, crescermos de repente - física e psicologicamente - e mudarmos nalguns aspetos. Acontece que, no meu caso, entre os quinze e os dezoito anos, engordei consideravelmente. Nesta fase, comecei a sentir-me mal comigo própria e a fazer coisas muito erradas. Mas isto é assunto para outro dia. Hoje quero falar-vos sobre vegetarianismo.
Tal como a maioria das pessoas que seguem este tipo de alimentação, comecei por ver vários documentários que me chocaram. Eu já tinha noção de que a industria alimentícia era muito cruel, no entanto, nunca tinha tido coragem de ver com os meus próprios olhos tudo aquilo que acontece até determinado produto chegar até nós. Comecei a ver documentários em 2016. Nessa altura considerei reduzir o consumo de carne e produtos de origem animal no geral, mas, como vivia com os meus pais, foi complicado. Em minha casa, por norma, come-se peixe uma vez por semana e carne nos restantes dias. Desisti da ideia cerca de dois meses depois.
Por alguma razão, os documentários continuaram a chegar até mim. Continuei a ver. A ideia de me tornar vegetariana voltou. Fiz imensas pesquisas: vantagens, desvantagens, como substituir a carne, receitas, entre outras. E assim foi, em junho de 2017 parei de consumir carne. Mais tarde, em novembro, parei de consumir peixe e, em meados de dezembro, parei de beber leite - no entanto, ainda consumo derivados.
Confesso que o que mais me custou foi, sem dúvida, parar de beber leite. O leite fazia parte da minha alimentação diária e era algo que me satisfazia, mas depois de ter visto alguns documentários e de ter lido algures que este apenas piorava o acne - tal como já vos disse, sofro de acne há quase dez anos -, decidi parar. Por vezes, ainda sinto vontade de beber leite com chocolate e não vou negar que o faço. Uma das coisas mais importantes para continuar saudável é parar o consumo aos poucos por isso, se o meu corpo pedir algum alimento e eu sentir que devo, vou dar-lho. Foi o que aconteceu na quinta-feira passada: pela primeira vez em cerca de quatro meses, bebi leite. O meu corpo pediu e eu dei. No entanto, depois senti-me estranha e até um pouco maldisposta.
Relativamente à carne, não foi muito difícil parar de consumir. Ao inicio os meus pais não lidaram muito bem com a ideia, mas depois foram-se habituando. Comecei a cozinhar mais, a preparar as minhas próprias refeições e, literalmente, a inventar. Não sinto falta de comer carne e, sinceramente, neste momento já me faria imensa confusão. O peixe foi o que menos me custou parar de consumir, visto que era algo pouco presente na minha alimentação.
Notei melhorias na minha saúde, sinto-me mais saudável e menos culpada em relação a certos problemas ambientais. É algo que quero levar a sério e continuar enquanto conseguir. Não posso dizer que vou ser vegetariana para o resto da vida ou que me vou tornar vegan, se algo maior me "obrigar" voltarei a consumir carne - mas não está nos meus planos!.
Achei interessante partilhar esta mudança convosco e, caso queiram saber mais, podem dizer nos comentários que farei mais posts em relação ao assunto. Espero que tenham gostado! xx 

Latest Instagrams

© Classic Vogue. Design by FCD.